Fator masculino

Como já citamos anteriormente, hoje se sabe que o fator masculino tem incidência praticamente igual ao fator feminino quando se trata de reprodução, sendo fundamental uma boa investigação para afastar a possibilidade de alterações da fertilidade no homem. As causas mais comuns de infertilidade masculina devem ser citadas para melhor esclarecimento e prevenção:

Criptorquidia: demora ou não descida dos testículos no momento adequado para o interior da bolsa escrotal. A exposição prolongada dos mesmos a temperatura mais elevada do abdômem, mesmo que unilateral, pode levar a diminuição da qualidade global do sêmem em relação ao homem normal;

Orquite: infecção dos testículos, sendo mais freqüente a ocasionada pelo vírus da parotidite (caxumba). Caso esta infecção pela caxumba aconteça após a puberdade ela pode destruir o epitélio germinativo e é reconhecida como causa de infertilidade;

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como a gonorréia, por exemplo: podem levar a obstrução dos ductos que levam os espermatozóides para fora do organismo do homem durante a ejaculação;

Cirurgias anteriores: por lesão dos ductos deferentes, estruturas responsáveis pelo transporte dos espermatozóides do testículo para fora;

Câncer de testículo: pacientes que realizaram tratamento com quimioterapia e radioterapia ou que apresentam lesões ocasionadas pela remoção cirúrgica de várias estruturas visinhas aos testículos, podem apresentar infertilidade;

Exposição a drogas e toxinas ambientais: podem levar a diminuição no número de espermatozóides, além de causar também alterações na modalidade e no formato destes, levando á queda da fertilidade. Alguns exemplos de drogas e toxinas.Pesticidas, cafeína, nicotina, álcool, maconha, anabolisantes e alguns medicamentos;

O epitélio germinativo é sensível á temperatura elevada, consequentemente o uso freqüente de saunas ou banhos quentes pode ser deletério á fertilidade;

Como o tempo para produção completa dos espermatozóides é de aproximadamente três meses, deve-se avaliar eventos como febre alta, viroses e tensões emocionais, entre outras, que possam ter ocorrido durante este período. Tais eventos podem afetar o desenvolvimento dos espermatozóides, e consequentemente alterar o espermograma atual.

Alterações genéticas podem condicionar infertilidade e devem ser investigadas.